Apr

19

2015
O que esperar de Demolidor?
Postado por Isadora Ribeiro. Falando sobre Dicas, Entretenimento, Favoritos, Recomendo

Quando apertei o play para o primeiro episódio de Demolidor se iniciar, eu não tinha lido nada sobre como tinha sido a produção, não li críticas e nem tinha assistido o trailer. Fui totalmente do zero, sem expectativas ou surpresas. Só havia o conhecimento prévio de alguns quadrinhos lidos mesmo. E antes de mais nada, o post de hoje é único e exclusivamente a respeito da série do Netflix e não sobre as histórias apresentadas anteriormente nos quadrinhos, ok? E assim como a crítica de Cinderela, esta vai ser longa. Ouso dizer que será mais e se você quiser saber os motivos é só continuar lendo.

Por falar em quadrinhos, o primeiro motivo para você assistir a série é justamente esse: você não precisa ter lido nada a respeito do Demolidor. A série é autoexplicativa e não exige nenhum antecedente do telespectador. E se você assistiu o filme com o Ben Afleck, por favor esqueça-o agora e libertem o lado macho de vocês porque tem muito sangue de verdade por vir nessa crítica!

006

Demolidor vai nos contar a história de Matt Murdock, que com 9 anos de idade perdeu a visão em um acidente entre caminhões tóxicos e passou a adquirir um elevado desenvolvimento de outros sentidos. Mais tarde, seguindo os passos de seu pai, aprende a lutar e começa a levar uma vida dupla: advogado e “vigilante” combatendo o crime em seu bairro em Nova York. Duas funções que se completam em objetivo e se separam na prática. Apesar de Matt morar em Nova York (como a maioria dos personagens mais famosos dos quadrinhos da Marvel), ele está longe de exercer o mesmo papel de salvador da pátria, o que prova que não é só a cegueira que o que o diferencia de outros heróis.

Foggy, o melhor amigo, divide o escritório de advocacia com Matt e logo no primeiro episódio, os dois parceiros ganham mais uma nova funcionária, Karen Page. Personagem do qual tem muita história, mistério e coragem. E esses três fatores são abordados lentamente de uma forma bem equilibrada e o melhor de tudo é que não é apenas mais uma personagem mulher que chegou para seduzir os colegas de trabalho. Não, longe disso. Page tem uma história própria e irá construir uma nova história ao lado dos companheiros de trabalho.

001

A carga densa de dores emocionais e físicas são os pontos altos da série. Sim amigos, a série é extremamente violenta. Se você já leu algum quadrinho do Demolidor (lembrando que não é necessário) você sabe do que estou falando. Agora triplique este número de violência. São cenas explícitas, que mesmo não mostrando tudo, te fazem imaginar e seu estômago começa a remoer. Também vemos cenas rápidas, cenas demoradas, muito sangue, armas, violência sem armas.. Fica até difícil organizar em tópicos o quanto essa série é violenta. E sim, este pode ser um fator que afaste as pessoas de assisti-la e confesso que compreendo. Não é fácil, porém, é o que torna a série o mais real possível aos olhos de quem vê. É o que faz a série não ser mais um produto com cenas de luta e sangue da Marvel. Tudo aquilo que Matt não enxerga, os telespectadores enxergam em dobro. Matt enfrenta criminosos reais (mafiosos poderosos) e nada mais justo do que dar a devida realidade à todo essa luta. Deu pra entender mais ou menos o clima?

Os flashbacks não são excessivos, são necessários. Não foi mostrado nada a mais e nada a menos. Não nos cansamos de vê-los, não são demorados e cumprem o seu papel fundamental para o desenvolvimento e explicação de alguns fatos.

002

O uniforme usado nos primeiros 12 episódios fazem jus ao início da história do Demolidor, escrita por Frank Miller. O Homem Sem Medo usava uniforme preto como Demolidor e roupas pretas como advogado. E seguindo esse assunto do uniforme, o nome do herói em inglês é Daredevil. Dare significa ousado e devil o capiroto, sendo daredevil um tipo de temerário, alguém para se temer. Mas ao contrário do que pode parecer, Matt Murdock é um cara extremamente religioso e vemos isso na primeira cena do primeiro episódio. E aparece aqui o meu primeiro medo. Estava com receio da série não conseguir abordar direito o lado religioso dele, de forma que as pessoas não compreendessem o motivo de toda contradição. E a série não só consegue mostrar isso, como mostra cenas bem reflexivas de Matt e o padre ao longo da série.

Outro ponto forte da série é a fotografia perfeita. O cuidado que a produção teve com os ângulos de câmera, luz, cenário e ambientação de Hell’s Kitchen foram levados a sério por todos os envolvidos. Me senti orgulhosa por ter a oportunidade de assistir cenas tão bem feitas com muito trabalho por trás, tenho certeza. De novo, mais um fator que faz as cenas se tornarem bem realistas.

004

Mas Isa, cadê o vilão? O Rei do Crime (aka. Wilson Fisk), o grande “vilão” do Demolidor, chega em grande estilo trazendo o que há de pior no mundo da máfia. O mafioso em questão é um cara com um passado sombrio e misterioso, que conquistou o poder no mundo do crime, controlando a mídia, a polícia, seus amigos, seus capangas.. Resumindo, toda a Hell’s Kitchen! Fisk é frio, violento e se esconde atrás da ideia de um futuro melhor para os cidadãos do bairro. Um fator importantíssimo são os flashbacks de sua infância. Mudam o rumo da trama e trazem vida e sentimentos ao personagem tão tirano e cruel.

Detalhes importantes que aconteceram em outras histórias do universo Marvel aparecem por aqui e detalhes vão continuar se desencadeando nas próximas temporadas. Os primeiros 13 episódio deixaram algumas portas abertas para a aparição de novos personagens (fãs dos quadrinhos entenderão de quem estou falando) e para a resolução de pequenas coisinhas que ficaram sem resposta ainda na primeira temporada.

Elenco e Curiosidades

Charlie Cox, muito prazer! O ator britânico que interpreta Matt Murdock superou todas as minhas expectativas. Temia por uma interpretação dura e inexpressiva levando em conta as limitações do personagem, mas Charlie vestiu a camisa com todas as letras e deu um soco na cara no estilo Demolidor em quem duvidava de seu talento.

Não posso deixar de mencionar a querida Deborah Ann Woll. Comecei a acompanhar seu trabalho em True Blood e na época, Baby Vamp era a minha personagem favorita. Não duvidava de seu talento e estava ansiosa para vê-la em um papel diferente, sério e intimidador. Uma curiosidade interessante é que Deborah é namora um homem cego que sofre de choroideremia, uma doença rara e hereditária que provoca a perda progressiva da visão devido à degeneração da coróide e da retina. Ambos apoiam a The Choroideremia Research Foundation.

deb

Na Premiere de lançamento, EJ (o namorado) foi vestido à caráter. Por baixo do terno usava uma camiseta do Demolidor e seus óculos foram inspirados no personagem. Legal, né?

E o que dizer de Vicent D’Onofrio? Não assisti nada dele antes mas um beijo para tudo que ele já fez anteriormente. Wilson Fisk é o seu melhor papel e eu estava morrendo de medo do ator escolhido não conseguir equilibrar a emoção do personagem com a frieza e poder que o Rei do Crime possui. Fisk não tem uma vida dupla como o Demolidor, mas seus sentimentos são mostrados de uma forma extremamente bem feita, com seus altos e baixos transcendendo os limites dos próprios telespectadores a respeito dele.

Outro ponto positivo é que Demolidor será a primeira série do Netflix a entrar no serviço de audio descrição, um recurso que possibilita os cegos a ter uma ideia maior e melhor para acompanhar os episódios.

Conclusão

A qualidade das produções da Marvel e Netflix, nunca vão ultrapassar tudo que Demolidor conseguiu passar. A forma como as cenas se desenrolavam, apenas mostravam a realidade explícita de uma verdadeira cena de ação. O mesmo para as cenas com muita emoção. Vai muito além do que a Marvel já fez até hoje se tornando a sua melhor produção de todos os tempos (desculpa fãs de Vingadores) ganha todo o meu amor e a minha depressão pós finale.

003

A conclusão mais intrigante é na verdade uma pergunta pra mim mesma. Por que o Demolidor não é meu herói favorito? Por que tinha que existir um Homem-Aranha neste mundo pra me envolver? Não sei, gente! Só sei que não sei. Vou perder leitores por essa crítica (aquelas!) mas juro, senti extrema necessidade de escrever todas as minhas impressões dessa série maravilhosa que ganhou meu coração. QUE SÉRIE, AMIGOS! Que série!

E vocês? Me contem, sei que não é todo mundo que gosta de séries assim, mas se você leu até aqui, me indique outras séries boas do Netflix (além de OITNB que eu já amo e acompanho). E se você não só assistiu todos os 13 episódios de Daredevil como amou todos eles, vem ser feliz comigo!!!

Me acompanhe também nas redes sociais: Facebook ♥ Twitter ♥ Instagram ♥ Skoob ♥ YoutubeGoodReads


Isadora Ribeiro
7





7 Comentários


Fernanda @ 20.04.2015

Oi Isa!
AMEI sua crítica! Super completa e me deixou com muita vontade de assistir essa série. Aliás, faz pouco tempo que comecei a ouvir falar sobre ela… ou simplesmente não tinha prestado atenção ainda.
Jessica! *-*
Aiii, ainda não consigo imaginar ela em outra personagem, mas com certeza vou amar vê-la atuando!
Super beijo! :*

Isadora Ribeiro Reply:

Oi Fe! Nossa muito obrigada! Tenho certeza que vai gostar de ver a Deborah neste papel \o/ Espero que comece a assistir a série o quanto antes!


Patty @ 21.04.2015

Uia, eu tava morrendo de vontade de começar essa série mas tava mei receosa de perder tempo já que tô atrasada em várias HAUHUAHUAHUHAUHUAHU Agora definitivamente irei assistir sem medo :DDDDDD

Isadora Ribeiro Reply:

SE JOGAAAAAAAAAA!!!


Mary @ 23.04.2015

NEM FALA DO FILME DO BEN AFFLECK! VAMOS DELETAR ISSO DAS NOSSAS MEMÓRIAS! Não, mas falando sério… nem precisa mencionar a tragédia que foi aquilo né? E a série é o completo oposto até onde eu assisti (8 episódios). Gostei muuito dessa sua análise de que a gente vê tudo dobraod em relação à violência. Eu não tinha pensado nisso e acho que agora até consigo levar a coisa mais adiante sabe? Violência de luta (não de arma e essas coisas, mas luta mesmo, socos e tapas e chutes) são triggering pra mim por conta de uma coisa que presenciei em novembro. Apesar de já estar melhor, ainda me incomoda e como você mesma falou, a série é BEM gráfica. Mas pensando em tudo isso como sendo uma compensação (não é bem essa a palavra) por conta da situação do Matt é bem legal.
Eu tô bastante curiosa com o final da série, todo mundo falou que a conclusão de como ele chega no uniforme definitivo é incrível! Quando eu terminar eu vou obviamente gritar contigo sobre, até porque se eu não falar você me mata! <3
Sobre séries da Netflix, acho que a única além de Demolidor que eu assisto é Hemlock Grove, mas essa você não vai gostar. Não é exatamente terror, é mais horror (não tem essa classificação aqui no Brasil mas é essa a real..) mas nem tenta assistir se não eu brigo contigo haha! E eu preciso ver Orange is the new Black, sou a única que não vi ainda!!
Ah sim, CONTINUE FAZENDO RESENHAS GORDUCHAS ASSIM. AMO. FICA LINDO. AS PEQUENAS SÃO LINDAS, MAS AS GORDUCHAS!! <333333


Marina Menezes @ 11.05.2015

Também assisti Demolidor esses dias e amei a série! Tem tudo isso que você falou, sem contar que é super envolvente. Estou ansiosa pras próximas temporadas

Isadora Ribeiro Reply:

YEEEY! \o\o